FC Porto – Santa Clara 3-0 (Crónica)

2 meses ago
49

Após uma longa paragem de competição ao mais alto nível devido aos compromissos internacionais, a equipa de Sérgio Conceição voltou ao relvado do Dragão para defrontar a equipa dos Açores. Sabendo da distância que os leões conseguiram encurtar no fim de semana, a intenção de perpetuar a invencibilidade na Liga Bwin foi o foco dos azuis e brancos.

Deste modo, com o mesmo onze inicial que pisou o relvado no bessa, os dragões durante os primeiros 20 minutos de jogo demonstraram competência e controlo na posse de bola tanto em fases adiantadas do terreno como mais perto da baliza de Diogo Costa. Além disso, os bons índices de agressividade e de proatividade propiciaram boas jogadas coletivas na parte mais interior do terreno (uma clara estratégia deste jogo em particular). Contudo, a sólida intervenção defensiva da equipa do Santa Clara e com algum atrevimento nas bolas paradas, promoveu a continuidade do nulo no marcador durante a primeira meia hora de jogo.

Ainda assim, ao minuto 38, numa falta convertida surpreendentemente por Vitinha na entrada da área Açoreana, oferece de bandeja a possibilidade de Fábio Vieira disparar à baliza. O criativo não se fez rogado e atirou colocado para o 1-0 no placard. Pouco tempo depois, com um erro clamoroso da defesa adversária, Evanilson alveja o poste e na ressaca Fábio Vieira bisa na partida e coloca os dragões com uma vantagem alargada para o intervalo.

Com o início da segunda parte e, uma toada de jogo igual à primeira, o FC Porto começa com um golo anulado a Pepe por fora de jogo, após uma bela jogada ensaiada Made in Olival. No entanto, nem tudo era um mar de rosas no Estádio do Dragão. Matheus Uribe aos 55 minutos é forçado abandonar o terreno de jogo com queixas físicas que proporcionaram a entrada de Marko Grujic.

A partir dos 70 minutos, a tendência de desaceleração do jogo para ambos os lados decorreu de forma natural. Entre isso e algumas ocasiões de golo das duas equipas, Taremi, Francisco Conceição e Galeno tiveram a oportunidade de entrar em campo e dar o seu contributo no objetivo portista.

A partida caminhava para o final, mas mesmo assim existiu a oportunidade de selar o terceiro golo. Depois de uma excelente abertura de Pepê para uma desmarcação oportuna de Galeno, Zaidu aproveita a defesa incompleta de Marco Rocha para encostar a bola no fundo da baliza.

SIGA-NOS

Nas redes sociais

Notícias relacionadas

em destaque

Marche quer jogar mais, mas garante querer «o melhor para o clube»

Titular durante toda a competição, Marchesín consagrou-se também como vencedor da Dobradinha e estava naturalmente feliz no final do encontro. No entanto, o guarda-redes argentino...

2

Mbemba: «Seja qual for o meu futuro serei sempre portista»

3

Jornalista francês afirma: Diretor do PSG reuniu-se com Conceição

4

Namaso aborda o futuro: «Vamos ver o que acontece»