• Notícias
  • Pinto da Costa destaca «momento desportivo» e «perdas que não é possível reparar»

Pinto da Costa destaca «momento desportivo» e «perdas que não é possível reparar»

4 meses ago
98

Na habitual rubrica na revista Dragões, Jorge Nuno Pinto da Costa fez mais um balanço do último mês do FC Porto. O líder máximo da estrutura portista realçou o sucesso recente do clube, mas lamentou as várias perdas históricas que ficaram.

«O principal motivo da nossa alegria é o momento desportivo das nossas equipas. No caso do futebol, prosseguimos um caminho impressionante no campeonato, que já vai em 16 vitórias consecutivas. Como bem disse o Sérgio Conceição, esta marca só será importante se nos ajudar a conquistar títulos, e até ao fim da época ainda há muito para jogar», atirou Pinto da Costa quanto à atualidade da equipa principal.

No entanto, o FC Porto lamentou recentemente a perda de figuras como Lima Pereira, Maria Amélia Canossa e, recentemente, de Rolando: «Desde que escrevi a minha última crónica, há um mês, o FC Porto passou por vários momentos felizes, mas também teve de lidar com perdas que não é possível reparar».

Num momento de recordação, Pinto da Costa realçou que nas vitórias e nas derrotas, os valores destas figuras sempre prevaleceram: «O FC Porto é muito grande porque teve o privilégio de contar no campo com figuras como o Rolando e o Lima Pereira. Curiosamente, viveram épocas desportivas muito diferentes, uma em que não ganhávamos quase nada e outra em que ganhávamos quase tudo, mas ambos foram representantes inexcedíveis dos valores do clube».

SIGA-NOS

Nas redes sociais

Notícias relacionadas

em destaque

Marche quer jogar mais, mas garante querer «o melhor para o clube»

Titular durante toda a competição, Marchesín consagrou-se também como vencedor da Dobradinha e estava naturalmente feliz no final do encontro. No entanto, o guarda-redes argentino...

2

Mbemba: «Seja qual for o meu futuro serei sempre portista»

3

Jornalista francês afirma: Diretor do PSG reuniu-se com Conceição

4

Namaso aborda o futuro: «Vamos ver o que acontece»