• Notícias
  • Sérgio Conceição fala sobre jogo contra a Lazio: “Têm princípios que eu gostei”

Sérgio Conceição fala sobre jogo contra a Lazio: “Têm princípios que eu gostei”

3 meses ago
86

Nesta quarta-feira (16), Sérgio Conceição fez a antevisão da partida contra a Lazio, para a Liga Europa, que será disputada amanhã (17). O técnico do Porto abordou ainda a confusão presenciada no final do último clássico, com o Sporting.

Carinho pela Lázio

“Toda a gente sabe a minha passagem pela Lázio, os momentos, os adeptos, os títulos conquistados. É uma parte importante na nossa vivência. Tenho carinho pela Lázio, mas isso conta muito pouco. Represento o FC Porto, que é o meu clube, aquele que me paga e o do coração. Sabemos que vai ser difícil, equilibrado. Será também para a Lázio, porque somos uma equipa competitiva. Vamos fazer de tudo para ganhar.”

Confusão no clássico

“Temos um jogo importante amanhã. Trabalhamos da melhor forma para conquistar os três pontos. Quero dizer uma coisa simples: é preciso haver uma investigação rigorosa aos dois lados. São situações que não dignificam e que não são bonitas. Quem cometeu erros tem de cumprir. O Rúben tem toda a razão: temos todos de melhorar, principalmente quem não está na ficha de jogo.

Sucesso contra italianos

“Não é coincidência. É trabalho e mérito da equipa técnica e dos jogadores. Conheço o futebol italiano, mas sigo o inglês, o alemão e o francês. A Lázio… Olho com algum carinho e vou acompanhando as equipas pelas quais passei. Mas não é mais do que isso. Temos de meter cá para fora o melhor FC Porto a nível europeu.”

Tempo útil de jogo

“É de lamentar. Fui convidado alguns anos seguidos a ir à reunião da UEFA com os treinadores que estão na Champions e esse é um tema debatido. Houve da parte de José Couceiro a particularidade de querer chamar todos os treinadores para debater essa situação. Há gente que propõe algumas mudanças e estou de acordo, mas fica-se só pela reunião, o passo à frente não se dá. Todos somos um bocado culpados e é preciso olhar para isso. Não é normal ter pouco mais de 40 minutos em 90 e tal que jogamos.”

Liga Europa e frustação por não estar na Champions

A frustração de não estar na Liga dos Campeões continua na mesma. Somos um clube habituado a estar na melhor prova de clubes, que é a Champions. Agora estamos numa nova prova, que é diferente, e que temos de dignificar o FC Porto. Houve um jogo importante, que passou e que no balneário tivemos de o isolar. Não há tempo para andar a falar de futebol. Tínhamos que analisar a equipa da Lázio. Não há tempo para andar a pensar noutras coisas. Não temos tempo para isso. Fazemos o nosso trabalho, que também passa por esquecer o jogo anterior. Isto, claro, não deixando de o analisar.”

Felipe Anderson

Não teve a oportunidade de jogar muito. Tem uma qualidade incrível, tanto a nível físico como técnico. Tem uma capacidade física incrível. O grande problema é no plano emocional. Falta-lhe alguma consistência. Pode fazer um jogo e depois passar alguns momentos em que falta alguma confiança. É de ser tão boa pessoa, de absorver muito o que anda à volta dele, de opiniões, críticas e assim fica mais difícil. Tenho alguma dificuldade em falar dele, gosto muito da pessoa que é. São meninos que precisam de vivência à volta deles e que seja num meio ideal, para que, em campo, possam exprimir a qualidade que têm.”

Análise à Lázio

“A Lázio faz muitos golos. Têm jogadores interessantes, no meio-campo. Têm alas interessantes, como o Pedro e o Felipe Anderson. Liga o jogo e tem profundidade. Os perigos que podem chegar têm a ver com a nossa forma de jogar. Têm princípios que eu gostei, apesar do desequilíbrio defensivo. Têm os setores juntos, com alas a cumprirem o plano defensivo. Olhámos, muitas vezes, para os golos. Gostei da Lázio, sinceramente.

Casa ou fora?

“Jogar em casa ou fora é mais importante em clubes de menor dimensão. É normal. Num clube como o FC Porto, jogar em casa ou fora a responsabilidade é a mesma. Gostamos de jogar com o nosso público, obviamente, e dá sempre outra força.”

Passado como jogador da Lázio

“É seguro que a Lázio vai crescer, tem jogadores interessantes, que a nível individual me fazem gostar. É um plantel que faz muitos golos, tem princípios de jogo muito interessantes. Eu sou um adepto da Lázio, gosto da cidade de Roma, guardo a Lázio no coração. Conquistamos muitos títulos, um que falou, a Supertaça, em Turim, contra uma Juventus forte. Um clube com adeptos de grande nível. Ficará para sempre no meu coração, o clube, a cidade, os adeptos.”

SIGA-NOS

Nas redes sociais

Notícias relacionadas

em destaque

Marche quer jogar mais, mas garante querer «o melhor para o clube»

Titular durante toda a competição, Marchesín consagrou-se também como vencedor da Dobradinha e estava naturalmente feliz no final do encontro. No entanto, o guarda-redes argentino...

2

Mbemba: «Seja qual for o meu futuro serei sempre portista»

3

Jornalista francês afirma: Diretor do PSG reuniu-se com Conceição

4

Namaso aborda o futuro: «Vamos ver o que acontece»